25 de janeiro de 2015

Migas de Feijão-Verde da Tia Cláudia e as mulheres do Norte








As raparigas do Norte,  por Miguel Esteves Cardoso

''As raparigas do Norte" têm belezas perigosas, olhos impossíveis.
Têm o ar de quem pertence a si própria.
Andam de mãos nas ancas.
Olham de frente.
Pensam em tudo e dizem tudo o que pensam.
Confiam, mas não dão confiança. 
Acho-as verdadeiras.
Acredito nelas.
Gosto da vergonha delas, da maneira como coram quando se lhes fala
e da maneira como podem puxar de um estalo ou de uma panela, quando se lhes falta ao respeito.
São mulheres que possuem; são mulheres que pertencem.
As mulheres do Norte deveriam mandar neste país.
Têm o ar de que sabem o que estão a fazer."

 Olá Mary & Mom,

     a receita é da tia Cláudia. Provei este ano durante as férias de Verão e soube-me tão bem que tentei fazê-la em casa para matar saudades. Quase podia ser uma receita alentejana se não fosse, na realidade, transmontana, como a nossa tia Cláudia. Uma delícia. Espero que gostem.

Ingredientes:


  • meio kg de feijão-verde
  • meio kg de pão caseiro duro (usei pão alentejano)
  • cerca de 60 a 100 mL de azeite (a quantidade de gordura fica ao vosso gosto e ao vosso critério)
  • 2 ou 3 dentes de alho finamente laminados
  • sal q.b.


Modo de Fazer:

1) Coze-se o feijão-verde e reserva-se a água da cozedura.

2) Entretanto corta-se o pão às falhinhas finas.


3) Dá-se uma friturinha nos alhos e acrescenta-se o feijão-verde. Deixa-se estrugir para realçar o seu sabor.

4) Apaga-se o lume, acrescenta-se o pão e envolve-se no feijão-verde e no azeite.

5) Cobre-se com a água de cozedura quente, tapa-se o tacho e deixa-se ensopar. Este passo é crucial para definir a textura das vossas migas: se gostam delas empapadas devem usar mais água e deixar o pão ensopar mais tempo, se gostam delas "emboladas" e mais secas usem apenas água suficiente para cobrir o pão e não devem deixar a ensopar mais do que poucos minutos. Com a prática atinge-se a perfeição.

6) Escorre-se o excesso de água, se for necessário, e volta ao lume para secar ou para moldar as migas, se as quiserem mais sequinhas.

Estas serviram para acompanhar umas ovas cozidas, mas também casam bem com peixe frito, sardinhas grelhadas, panadinhos de tofu ou rojões. É para todos os gostos. :)

Bom apetite,
Sophia.

Sem comentários:

Enviar um comentário