15 de junho de 2014

Sopas do Espírito Santo sobre pão alentejano




Olá Mary & Mom,

a origem do culto do Espírito Santo em Portugal é anterior à própria descoberta dos Açores. Entra no século XIII pela mão dos franciscanos e enraiza-se profundamente em Tomar e nos Açores, onde se comemoram as Festas do Império. Em Tomar são famosas as Festas dos Tabuleiros e nos Açores as Festas do Divino Espírito Santo.
 Os Impérios fazem-se em todas as ilhas açorianas desde o Domingo de Pentecostes até Outubro e em todas se comem as Sopas do Espírito Santo como uma forma de pagar promessas em que quem paga a promessa serve as sopas gratuitamente, a massa sovada e o vinho de cheiro. A população acorre às copeiras e come e bebe e grita vivas ao Espírito Santo. Espalha-se o cheiro a endro e a massa sovada. As gentes voltam a casa de barriga cheia.
A receita varia de ilha para ilha. As da ilha de Santa Maria são tidas como as mais antigas, quem sabe se por ter sido a primeira a ser descoberta.
 A gente repete-a cá por casa, não porque tenhamos promessas a pagar, mas para matar as saudades do Açores, que estão tão longe.
 Como por cá não se arranja pão de casa serve-se o caldo sobre sopas de pão alentejano e porque somos poucos à mesa não se coze senão uma porção de acém de vitela, ao contrário de um verdadeiro Império em que se usa toda a vaca, de preferência uma vaca velha, que é coisa que não se arranja no continente.



Ingredientes (serve 4 adultos e ainda sobra):
  • 500g de acém de vitela (o original seria toda a carne de uma vaca velha, que serviria muito mais do que 4 pessoas)
  • 1 colher de sopa de banha de porco (desta vez até usámos azeite, mas o tradicional é com banha)
  • meio repolho grande ou um pequeno
  • 6 a 8 batatas (é facultativo, porque as sopas tradicionais não levam batata)
  • 3 cenouras (facultativo)
  • 1 cebola
  • 2 ou 3 raminhos de endro 
  • 2 ou 3 raminhos de hortelã
  • 1 kg de pão de casa do dia anterior (pode usar-se pão alentejano ou de Mafra que também fica bem)
  • água q.b.
  • sal q.b.

Modo de Fazer:

1) Coze-se a carne com a banha (ou azeite), a cebola e o repolho cortado em quartos numa panela de ferro com água temperada de sal, em quantidade suficiente para cobrir e render fartura de caldo. Cá em casa cozeu-se na panela de pressão durante cerca de 40 minutos.

2) Noutra panela cozem-se as batatas e as cenouras até ficarem macias.

3) Coloca-se o pão fatiado, o endro e a hortelã numa terrina e rega-se com o caldo da cozedura da carne e do repolho.

4) Desfia-se a carne e serve-se numa travessa, juntamente com as couves, as batatas e as cenouras.

Compõe-se o prato com sopas de pão, fartura de caldo, carne, couves, cebola e batatas e cenouras, se as usarem.

Bom apetite,

Sophia.

Webgrafia: 

1) http://www.dn.pt/inicio/opiniao/interior.aspx?content_id=1888072&seccao=Anselmo%20Borges&tag=Opini%E3o%20-%20Em%20Foco&page=-1

2) http://santamariaazores.net/web/sopas-do-espirito-santo-a-moda-de-santa-maria/festas-espirito-santo/#.U5xiE3JdVrk

Sem comentários:

Enviar um comentário